Promotoria da Venezuela confirma 67 mortos em 69 dias de protestos

Caracas, 8 jun (EFE).- O Ministério Público da Venezuela confirmou nesta quinta-feira que 67 pessoas morreram em fatos violentos relacionados aos protestos a favor e contra o governo de Nicolás Maduro que sacodem o país há 69 dias.

O diretor-geral de Atuação Processual do Ministério Público venezuelano, Sair Mundaraín, assegurou na emissora estatal "RNV" que até a data o órgão penal processou 67 mortes por diferentes motivos no marco da onda de protestos.

Sobre os fatos registrados nestas manifestações estão sendo executadas 1.631 investigações, 1.307 por pessoas feridas e as demais por danos à propriedade pública e à propriedade privada.

Mundaraín indicou que há pessoas detidas que "já estão sendo processadas" por várias dessas causas.

Até o momento, a Promotoria deu os detalhes de 66 dessas mortes, a última delas de um jovem de 17 anos morto ontem quando um grupo de manifestantes encapuzados que liderava uma marcha fez frente ao cordão policial que os impediu de passar.

Por sua vez, o governo venezuelano aponta que pelo menos 80 pessoas morreram durante as manifestações, um número muito superior ao balanço oficial da Promotoria e que inclui vítimas que não participavam dos protestos, mas que, assegura, foram assassinadas por motivos políticos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos