Autor de tiroteio em tribunal na Itália em 2015 é condenado à prisão perpétua

Roma, 9 jun (EFE).- O Tribunal de Apelações de Brescia, no norte da Itália, condenou nesta sexta-feira à prisão perpétua Claudio Giardiello, um empresário que no dia 9 de junho de 2015 entrou no Palácio de Justiça de Milão e assassinou três pessoas a tiros.

O presidente da Corte de Brescia, Enrico Fischetti, confirmou assim a sentença emitida em primeira instância, pela qual Giardiello também recebeu a pena máxima, a prisão perpétua.

O fato ocorreu na manhã de 9 de junho de 2015 quando Giardiello, um empresário do setor imobiliário de 57 anos e acusado em um caso de falência fraudulenta, entrou no tribunal milanês portando uma pistola para assistir a uma das audiências do processo contra ele.

No início da sessão, Giardiello atirou contra os presentes, ferindo mortalmente duas pessoas. Posteriormente, entrou no gabinete de um magistrado e o matou.

As três vítimas mortais são o advogado Lorenzo Alberto Claris Appiani, de 37 anos; o magistrado especialista em falências Fernando Ciampi, de 71 anos, e outro dos acusados, Giorgio Erba, de 59.

Após o massacre, o empresário permaneceu escondido no interior do edifício durante uma hora para depois escapar em uma moto, na qual, pouco tempo depois, foi parado e detido pelas forças da ordem a cerca de 30 quilômetros de Milão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos