Irã prende 41 suspeitos de pertencer ao Estado Islâmico após ataques em Teerã

Teerã, 9 jun (EFE).- As forças de segurança do Irã prenderam 41 suspeitos de integrar o grupo Estado Islâmico (EI) após os atentados da última quarta-feira em Teerã, capital do país.

O Ministério de Inteligência do Irã informou nesta sexta-feira que as operações foram realizadas em quatro províncias, com a colaboração de algumas das famílias dos supostos extremistas. Durante a ação, foram apreendidos documentos, explosivos e munição.

O órgão tinha anunciado horas antes a prisão de vários suspeitos ligados aos atentados, que tiveram como alvo o parlamento de Teerã e o mausoléu do aiatolá Khomeini.

Nessa primeira operação, os agentes apreenderam uma grande quantidade de armas, coletes de explodidos, equipamentos de comunicação e documentos falsos, segundo o Ministério de Inteligência.

Na própria quarta-feira foram detidos cinco suspeitos no mausoléu do aiatolá Khomenei, mas ainda não há mais informações sobre a identidade dos presos.

Além disso, vários esconderijos usados pelos extremistas foram localizados em regiões do noroeste do Irã.

As operações ocorreram depois de o Ministério de Inteligência ter publicado a identidade de cinco dos terroristas responsáveis pelo atentado de Teerã.

O ministro de Inteligência, Mahmoud Alavi, explicou que os jihadistas - todos mortos durante os ataques - lutaram ao lado do EI no Iraque e na Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos