Agressor de Notre Dame é acusado de terrorismo e preso na França

Paris, 10 jun (EFE).- A Justiça francesa acusou neste sábado de terrorismo e ordenou a prisão preventiva do agressor de Notre Dame, que na última terça-feira feriu com um martelo um policial na esplanada da catedral parisiense.

Fontes judiciais indicaram à Agência Efe que o homem, um argelino identificado como Farid I., recebeu as acusações de tentativa de assassinato terrorista contra uma pessoa depositária da autoridade pública e de associação criminosa com fins terroristas.

O procurador de Paris, François Molins, tinha adiantado neste sábado em um comparecimento à imprensa que o homem se radicalizou muito rápido, por conta própria e através da internet.

Os primeiros elementos da investigação o apresentam como um indivíduo influenciado pela propaganda da organização jihadista Estado Islâmico (EI), à qual jurou lealdade em um vídeo.

Os agentes encontraram em sua casa em Cergy (arredores de Paris), no seu computador, câmera fotográfica e celular vários documentos que fazem propaganda do EI e dos atentados na capital francesa em novembro de 2015 e em Bruxelas em março de 2016.

Entre eles um "manual de ação de lobos solitários", disse Molins, que acrescentou que o agressor diz ser um "soldado do califado".

Farid I., nascido em 1977, feriu o policial na nuca com um martelo comprado em um supermercado, decidiu agir poucos dias antes de perpetrar o ataque e ficou ferido nas costas quando um companheiro desse agente disparou para neutralizá-lo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos