Rússia pede diálogo entre países do Golfo e Catar e união contra o terrorismo

Moscou, 10 jun (EFE).- O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, pediu neste sábado que os países do Golfo Pérsico dialoguem com o Catar e se unam na luta contra o terrorismo internacional, ao receber o chanceler catari Mohammed bin Abdulrahman al Thani.

A Rússia defende que "qualquer discrepância seja resolvida na mesa de negociações através de um diálogo em pé de igualdade e respeito mútuo", disse Lavrov, segundo a imprensa russa.

O ministro russo, que manifestou sua "preocupação" pela ruptura de relações diplomáticas de vários países árabes com o Catar, enfatizou que o "diálogo direto" é a melhor forma de "garantir a transparência" em todos os âmbitos.

"Por questão de princípios, não nos envolvemos nos assuntos internos de outros países, nem em suas relações bilaterais. Mas não ficamos contentes com uma situação na qual as relações entre parceiros estão piorando", indicou Lavrov.

Além disso, o ministro assegurou que a Rússia mantém consultas com todos os países da região e fará o que for necessário para intermediar na atual crise, com o consentimento dos envolvidos.

Lavrov também pediu que os países da região se concentrem em "cooperar" e "unir esforços" na luta contra "a principal ameaça: o terrorismo", o que considera "extremamente importante".

"Para nós, é totalmente claro que, para que as ações nessa frente sejam mais efetivas possíveis, é necessário garantir a unidade na Liga Árabe e no Conselho de Cooperação para os Estados Árabes do Golfo (GCC, sigla em inglês)", disse Lavrov.

Mohammed bin Abdulrahman al Thani, por sua vez, enfatizou que a postura de seu país em relação à crise é que as diferenças devem ser solucionadas através do diálogo e considerou que o GCC é "o melhor formato" para isso.

O chefe da diplomacia catari afirmou que o "principal objetivo" da visita é informar à Rússia "as medidas ilegais" adotadas contra o país árabe.

O chanceler catari também lembrou as relações de amizade que unem Rússia e Catar e o papel importante do Kremlin nas questões internacionais.

Em uma conversa telefônica mantida esta semana, o presidente russo, Vladimir Putin, transmitiu ao emir do Catar, o xeque Tamim bin Hamad al Thani, que a Rússia aposta pelo diálogo na resolução dos conflitos políticos e diplomáticos.

Arábia Saudita, Emirados Árabes, Bahrein e Egito romperam relações diplomáticas com o Catar ao acusá-lo de se aproximar do Irã e de apoiar os rebeldes no Iêmen e na Líbia.

Esses países também denunciaram que o emirado apoia com dinheiro o grupo islamita egípcio Irmandade Muçulmana e várias organizações terroristas que atuam na Síria, algo que a Turquia negou categoricamente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos