Irã diz que nenhum suspeito vinculado a atentados de Teerã segue em liberdade

Teerã, 11 jun (EFE).- O ministro de Inteligência do Irã, Mahmoud Alavi, assegurou neste domingo que a célula terrorista que realizou o duplo atentado em Teerã foi "completamente destruída" e que nenhuma pessoa vinculada com ela segue em liberdade.

Em uma sessão a portas fechadas no parlamento, Alavi explicou que todos os indivíduos relacionados com os ataques foram abatidos ou detidos desde a quarta-feira, segundo o deputado Akbar Ranjbarzadeh, citado pela agência "Tasnim".

Além disso, o titular de Inteligência revelou ontem à noite que as forças de segurança iranianas mataram o autor "intelectual e principal comandante" dos ataques em colaboração com os serviços secretos de países vizinhos.

O duplo atentado de quarta-feira contra o parlamento e o mausoléu do aiatolá Khomeini em Teerã, cuja autoria foi reivindicada pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI), deixou 17 mortos e dezenas de feridos.

Os seis autores dos atentados morreram na própria quarta-feira, seja por suicídio ou abatidos a tiros pelas forças de segurança.

Desde então, várias operações de segurança se sucederam para deter extremistas vinculados com os atentados, que terminaram com mais de 50 detenções.

As últimas das quais se teve notícias aconteceram na província ocidental de Curdistão, onde a polícia prendeu ao menos seis suspeitos.

O serviço de inteligência iraniano publicou um dia depois dos ataques a identidade de cinco dos terroristas, que lutaram nas fileiras do EI no Iraque e na Síria, segundo este órgão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos