Costa afirma que Portugal é o "melhor defensor" do acordo entre Mercosul e UE

Buenos Aires, 12 jun (EFE).- O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, afirmou nesta segunda-feira que seu país é o "melhor defensor e advogado" do projeto de acordo entre o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e a União a Europa (UE) para fomentar o livre-comércio, após participar de um fórum de negócios em Buenos Aires.

"Neste momento em que as novas regiões do mundo fecham as fronteiras ao livre-comércio, acredito que o Mercosul e a UE podem estar na primeira linha para demonstrar que é a melhor forma de desenvolver os nossos povos, de combater a pobreza, de criar emprego e crescimento justo para todos", afirmou.

Em declarações à imprensa realizadas após discursar no encerramento do Fórum de Negócios Argentina-Portugal, realizado nesta segunda-feira na sede da Chancelaria do país, Costa se mostrou convencido que, junto com a Espanha, o seu Governo é um dos parceiros mais ativos com os quais a região conta para impulsionar este tratado.

Com ele concordou a chanceler argentina, Susana Malcorra, ao admitir que "não há ninguém melhor que Portugal" para defender os interesses do Mercosul, porque seu papel nas negociações, acrescentou, é "muito importante"

"A visão ibero-americana que representa Portugal e, certamente, a Espanha, é significativa. Eles têm uma responsabilidade adicional porque é preciso de alguma maneira um pé de cada lado: são a Europa, mas ao mesmo tempo são Iberoamérica", apontou.

O discurso de Malcorra no fórum foi sua última atividade oficial como chanceler antes de deixar o cargo por motivos familiares nesta mesma segunda-feira e ser substituída por Jorge Faurie, até agora embaixador do país sul-americano na França.

Sobre isto Malcorra brincou com Costa ao apontar que durante a sua visita à Argentina, que se estenderá até amanhã, terá a sorte de desfrutar de um fato muito "especial": o de ser recebido por dois chanceleres.

"Acredito que é muito importante que a minha última gestão seja de um fórum de empresários porque dissemos ao longo de todo o tempo que os argentinos têm que fazer inserções no mundo, não só através do seu Governo, senão através das suas empresas", afirmou.

Nesse sentido, contou que o Executivo de Mauricio Macri está trabalhando com a delegação de 21 empresários portugueses que acompanham o premiê durante sua visita para que entendam quais são as "oportunidades" na Argentina e que as firmas argentinas possam também se associar a eles.

Por sua vez, Costa falou que é o momento de aproveitar "a oportunidade única de mudança da situação econômica" em ambos países para "concretizar as capacidades e as ambições das empresas portuguesas e argentinas", trabalhar lado a lado e "exportar os bens".

Ambos concordaram que os setores mais fortes são as infraestruturas e o transporte e consideraram fundamental trabalhar na integração e abertura dos seus portos, bem como criar um voo direto Lisboa-Buenos Aires que fomente o turismo e a chegada de investimentos.

Com a sua participação no Fórum, o premiê luso iniciou uma visita de dois dias ao país, cuja parte mais política ocorrerá na terça-feira, quando visitar o Congresso e a Casa Rosada, onde se reunirá com Macri.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos