Congresso espanhol rejeita censura de coalizão esquerdista a governo de Rajoy

Madri, 14 jun (EFE).- O Congresso da Espanha rejeitou nesta quarta-feira a moção de censura contra o governo conservador de Mariano Rajoy apresentada pela coalizão de esquerda Unidos Podemos, que oferecia como candidato seu líder, Pablo Iglesias.

Após um debate de dois dias, a candidatura de Iglesias foi apoiada por 82 deputados, longe dos 176 votos (maioria absoluta) necessários.

A moção registrou 170 votos contrários, do conservador Partido Popular (PP), dos liberais do Ciudadanos e de outros pequenos grupos, enquanto o Partido Socialista (PSOE), o principal grupo de oposição, se absteve.

A coalizão entre os partidos Podemos, Esquerda Unida e outros grupos diversos da esquerda espanhola apresentou a moção com o argumento de que a vinculação do PP com numerosos casos de corrupção, a seu julgamento, está causando deterioração social e política.

O candidato alternativo, Iglesias, baseou seu discurso na relação do PP e do próprio Rajoy com o ambiente de corrupção generalizada, mas, por outro lado, foi criticado por não ter conseguido apresentar uma alternativa e ter ficado longe da maioria.

Esta é a terceira moção de censura na história da democracia espanhola, após as de 1980 e 1987, que também foram rejeitadas pelo Congresso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos