Legislador ferido em tiroteio nos EUA terá que passar por mais cirurgias

Washington, 14 jun (EFE).- O congressista republicano Steve Scalise, ferido nesta quarta-feira durante um tiroteio nos arredores de Washington, terá que passar por mais cirurgias e ainda se encontra em estado crítico, segundo o último boletim divulgado pelo hospital Washington MedStar, onde está sendo tratado.

"O congressista Steve Scalise sofreu um único disparo de fuzil em seu quadril esquerdo. A bala passou por sua pélvis, fraturando ossos, danificando órgãos internos e causando uma forte hemorragia. Foi levado em choque ao hospital Washington MedStar", detalhou o centro médico em um breve comunicado divulgado no início da noite.

"Foi submetido de imediato a cirurgia e a um procedimento adicional para deter a hemorragia. Recebeu múltiplas unidades de transfusão de sangue. A sua condição é crítica e requererá mais operações", concluiu a nota.

Scalise, um dos líderes republicanos da Câmara dos Representantes, ficou ferido junto com outras quatro pessoas quando um homem entrou armado com um fuzil e uma arma curta em um campo de beisebol de Alexandria em que 20 congressistas republicanos praticavam para uma partida beneficente prevista para esta quinta-feira contra democratas.

O homem, identificado como James Hodgkinson, de 66 anos, e que nas redes sociais tinha expressado seu descontentamento com os republicanos e com o presidente Donald Trump, disparou contra os congressistas e depois morreu baleado pelas forças de segurança.

Matt Mika, ex-assessor parlamentar e membro de um grupo de lobby no Congresso, também foi atingido pelos disparos e se encontra em estado "crítico".

O terceiro ferido identificado é Zachary Barth, assessor do escritório do congressista do Texas, Roger Williams, que anunciou em sua conta do Facebook que tinha sido ferido e encontrava-se no hospital fora de perigo.

Os outros dois feridos são membros da polícia do Capitólio, que estavam no complexo esportivo justamente para proteger Scalise, membro da cúpula republicana no Congresso, e foram os primeiros a reagir ao ataque.

Scalise tem direito à segurança permanente, ao contrário dos outros congressistas presentes no treino, algo que, segundo as testemunhas, evitou que o ataque se transformasse em um massacre. EFE

rg-jmr/rsd

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos