Dennis Rodman deixa Coreia do Norte sem revelar se esteve com Kim Jong-un

Seul, 17 jun (EFE).- O ex-jogador da NBA, Dennis Rodman, concluiu neste sábado uma visita de cinco dias a Coreia do Norte, segundo disse o americano em sua passagem pelo Aeroporto de Pequim, sem confirmar se esteve ou não com o líder norte-coreano Kim Jong-un.

"Foi uma viagem muito boa", afirmou Rodman, em declarações à imprensa reunida no aeroporto internacional da capital chinesa após a aterrissagem do seu voo procedente de Pyongyang, e divulgadas pela agência de notícias "Kyodo".

O polêmico ex-jogador de basquete não quis dar mais detalhes sobre a sua quinta visita ao fechado regime norte-coreano, e ao ser questionado se tinha estado com Kim Jong-un, respondeu: "É uma boa pergunta, você vai saber mais tarde".

Rodman publicou hoje em seu perfil oficial do Twitter uma mensagem em que dizia "Eu venho em paz", acompanhado por uma foto rodeada de câmeras e vestindo uma camiseta com uma caricatura sua escrito "Embaixador Rodman".

O antigo ala-pivô do Chicago Bulls desembarcou em Pyongyang na última terça-feira com o objetivo de "abrir a porta" para o diálogo com este país, segundo anunciou ele mesmo, ainda que desde então nem ele nem o regime norte-coreano tinham dado mais informações sobre a sua visita.

Sua ida ao país aconteceu em um momento de particular tensão entre Pyongyang e Washington, por conta dos persistentes testes armamentísticos realizados pela Coreia do Norte, e desta vez, Rodman só teria recebido a atenção de autoridades norte-coreanas de menor escalão do que nas viagens anteriores, segundo informou a imprensa americana.

Rodman viajou para a Coreia do Norte em qualidade de cidadão privado e não representando oficialmente os EUA, segundo disse em certo momento o Departamento de Estado americano.

Ele é considerado um dos poucos americanos que se reuniram com Kim Jong-un e visitou o país pelo menos quatro vezes desde 2013, e acredita-se que tenha uma boa relação com o presidente Trump, após apoiá-lo na campanha eleitoral.

"Tenho certeza que está muito feliz" com uma visita destinada a "conseguir algo que necessitamos", disse Rodman, antes de chegar na Coreia do Norte.

Poucas horas após a sua chegada ao país asiático, o regime norte-coreano liberou o estudante americano Otto Warmbier, que estava detido há 17 meses e se encontra em coma.

Rodman, de 56 anos, recebeu duras críticas pela sua amizade com o Kim Jong-un após uma das suas primeiras visitas em 2013, disse que buscava aproximar o mundo exterior da Coreia do Norte, através da chamada "diplomacia do basquete ".

Sua última visita foi em janeiro de 2014, quando ele e um grupo de ex-jogadores da NBA participaram de uma partida de exibição organizada como suposto presente de aniversário para Kim.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos