Ministro anuncia investigação de uso de força indevida em protesto em Caracas

Caracas, 19 jun (EFE).- O ministro de Interior e Justiça da Venezuela, Néstor Reverol, anunciou nesta segunda-feira uma investigação sobre o uso de força indevida por agentes da polícia durante uma manifestação em Caracas na qual morreu um jovem de 17 anos.

"A hipótese principal dentro da investigação iniciada por estes fatos presume o uso indevido e desproporcional da força", escreveu o ministro em uma série de mensagens em sua conta no Twitter ao referir-se ao protesto, no qual, segundo ressaltou, "várias pessoas" também ficaram feridas.

O Ministério Público confirmou hoje a morte de um jovem de 17 anos, ferido por arma de fogo, durante uma manifestação opositora, o que eleva a 75 o número de mortos nos protestos que acontecem no país há 80 dias.

Reverol detalhou que na área de Altamira, do município de Chacao, ocorreu "um fato irregular" durante uma "manifestação violenta" e que os funcionários policiais que dispersavam o protesto foram "postos à ordem da sua unidade para determinar a responsabilidade individual".

Alguns dirigentes opositores denunciaram através das redes sociais que os funcionários da Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militarizada) utilizaram armas de fogo contra os manifestantes.

O líder opositor Henrique Capriles divulgou fotos e vídeos de policiais portando e disparando armas de fogo e exigiu que o ministro da Defesa, Vladimir Padrino, ponha fim a esta situação.

"O que faziam esses efetivos da GNB com armas de fogo? Até quando @vladimirpadrino? Quantos jovens mais vão assassinar? JUSTIÇA!", escreveu Capriles.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos