Polícia diz que homem pode ter morrido antes do incidente em Londres

Londres, 19 jun (EFE).- O homem que morreu esta noite perto da mesquita de Finsbury Park, no norte de Londres, estava recebendo primeiros socorros antes que uma caminhonte atropelasse vários pedestres, pelo que se desconhece a causa de sua morte, segundo a Polícia local.

O subcomandante Neil Basu, da Polícia Metropolitana de Londres (MET), falou para a imprensa que esta pessoa desmaiou e era atendida no chão pelos fiéis que saíam da mesquita, após as orações da noite no mês sagrado do Ramadã, momentos antes do fato.

A Polícia confirmou depois a sua morte, pelo que figura como vítima fatal do incidente, mas se desconhece se perdeu a vida em consequência do atropelamento em que outras dez pessoas ficaram feridas, duas das quais estão em estado crítico.

O agente disse que o ocorrido se parece com "um atentado terrorista" e revelou que, por enquanto, se acredita que foi um só indivíduo que atropelou com uma caminhonete as vítimas, todas elas membros da comunidade muçulmana.

"A MET não descarta neste momento nenhuma hipótese e mantém uma mente aberta, independentemente de qual tenha sido o motivo por trás desta agressão", disse Basu.

Por enquanto, um homem de 48 anos, o suposto agressor que foi detido por uma multidão após "realizar o ataque, permanece sob custódia policial e até o momento não foram identificados outros suspeitos", revelou Basu.

O indivíduo detido, que, segundo testemunhas, é um homem branco de forte porte físico, foi levado a um hospital como medida de precaução e, uma vez em alta, será levado a uma delegacia para ser interrogado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos