Tráfico de Imigrantes: um negócio de US$ 10 bilhões por ano

Redação Central, 19 jun (Minds/EFE).- O tráfico de imigrantes movimenta por ano cerca de US$ 10 bilhões, segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM).



Confira alguns dados sobre a imigração no mundo:.



- POPULAÇÃO MIGRANTE: Em 2015, houve um número recorde de migrantes no mundo, 244 milhões de pessoas. Dessa cifra, 85,3 milhões correspondiam à migração Sul-norte, e 90,2 milhões à migração Sul-Sul, segundo os últimos dados da Organização Internacional para as Migrações (OIM).

A imensa maioria mudou de seus países por razões econômicas. Os refugiados e deslocados pelas guerras somavam naquele mesmo ano 51,2 milhões de pessoas, segundo a ACNUR.



- PAÍSES RECEPTORES: Dez países abrigam metade dos migrantes internacionais. Os EUA lideram, com 46,6 milhões em 2015, seguidos pela Alemanha, com 12 milhões, e a Rússia, com 11,9 milhões. A Espanha ocupa o 10° posto, com 5,8 milhões.



- MIGRANTES IRREGULARES: Não existem dados globais, apenas estimativas de especialistas que, em 2010, calculavam que havia cerca de 50 milhões de imigrantes sem documentos no mundo.

Os EUA tinham 11,1 milhões em 2014, segundo cálculos do centro de pesquisas Pew baseado em dados oficiais. Só na Malásia, a OIM estima que há entre 2 e 3 milhões de pessoas sem documentos. A UE calculou pelo menos 550 mil em 2014.



- VOLUME DE NEGÓCIOS: A maioria dos migrantes sem documentos recorre às redes de tráfico para chegar ao seu destino. A OIM calcula que este negócio ilegal movimenta por ano US$ 10 bilhões.

Segundo o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), as duas rotas principais - do norte, leste e oeste da África para a Europa e o sul ao norte da América - geram cerca de US$ 6,75 bilhões por ano para as redes criminosas.



- REMESSAS.- O Banco Mundial estimou em US$ 581 bilhões as remessas que os imigrantes mandaram para casa em 2015. O México foi o quarto país receptor, com US$ 26 bilhões. A América Latina e o Caribe somaram US$ 69 bilhões.



- MORTES.- Em 2016, a OIM registrou 7.763 mortes de migrantes irregulares, 27% a mais que em 2015 e 47% a mais que em 2014. A rota do Mediterrâneo foi a mais mortífera, com mais de 5 mil vítimas mortais, e 700 morreram no seu périplo para os EUA, 400 deles na fronteira com o México.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos