Defesa Civil desmente queda de um dos aviões que combate incêndio em Portugal

Lisboa, 20 jun (EFE).- O comandante da Defesa Civil de Portugal, Vitor Vaz Pinto, desmentiu nesta terça-feira as informações sobre a queda de um dos aviões que combatem os incêndios em Portugal, mas admitiu que receberam essa notícia e enviaram soldados à região do suposto acidente.

"Não tenho conhecimento da queda de nenhum avião" que tenha sido contratado ou que estivesse a serviço da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), disse Vaz Pinto em coletiva de imprensa.

No entanto, reconheceu que foram enviadas equipes de busca à área, nas proximidades de Ouzenda, na vila de Pedrógão Grande, onde, segundo disse, havia uma caravana abandonada com garrafas de gás em seu interior que pode ter explodido e criado "confusão".

Vaz Pinto não soube explicar como essa informação foi propagada, o que gerou grande confusão no centro de controle de Avelar, no qual são coordenadas as tarefas de extinção das chamas que arrasam o centro de Portugal desde sábado passado.

O comandante explicou que se reajustou "o plano estratégico de ação" para combater as chamas, missão na qual trabalham mais de 1.200 efetivos terrestres, apoiados por meios aéreos, alguns enviados de Espanha, Itália, França e Marrocos.

O balanço de vítimas mortais se mantém em 64, e os feridos já são 160, dos quais sete se encontram em estado grave.

A situação nesta tarde é especialmente preocupante em Góis, localidade situada cerca de 40 quilômetros ao norte de Pedrógão Grande, epicentro da tragédia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos