Morre venezuelano Pompeyo Márquez, fundador do Movimento ao Socialismo

Caracas, 21 jun (EFE).- O dirigente venezuelano Pompeyo Márquez, ex-militante do Partido Comunista, fundador do Movimento ao Socialismo (MAS) e opositor ao governo de Nicolás Maduro, morreu nesta quarta-feira aos 95 anos.

Márquez lutou contra a ditadura de Marcos Pérez Jiménez (1953-1958) e até seus últimos dias escrevia artigos sobre o cenário político venezuelano, especialmente contra o governo de Maduro, o qual qualificava de "regime sem lei" e denunciava as dificuldades dos cidadãos que não têm acesso a alimentos e medicamentos.

Em seus artigos, Márquez pedia que as manifestações que se iniciaram há mais de 80 dias na Venezuela continuassem para impulsionar uma mudança de governo.

"Como repetimos até o cansaço, se requer uma luta permanente que tomou a rota do caminho pacífico para responder a um governo que despreza o voto popular e reprime sem misericórdia", diz um de seus últimos textos, intitulado "Restabelecer o estado de direito".

A aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) lamentou a morte de Márquez em sua conta no Twitter: "Pompeyo Márquez @SantosYorme (1922-2017) construiu uma vida de luta contra a opressão. A Unidade Democrática expressa dor após sua morte.QEPD", indicou.

O líder opositor Henrique Capriles também expressou suas condolências na mesma rede social: "Meu muito sentido pêsame a familiares do nosso bom amigo Pompeyo Márquez. Foi para mim uma honra tê-lo conhecido. Deus o tenha em sua glória!".

O deputado e ex-presidente do Parlamento venezuelano Henry Ramos Allup escreveu: "Venezuela de luto. Público pesar pelo falecimento de POMPEYO MÁRQUEZ, um grande venezuelano, digno em toda a sua honorável trajetória".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos