ELN diz que não libertou jornalistas holandeses e que anúncio foi um erro

Bogotá, 23 jun (EFE).- O Exército de Libertação Nacional (ELN) voltou atrás nesta sexta-feira e afirmou que ainda não libertou os jornalistas holandeses sequestrados no último sábado no nordeste da Colômbia, alegando que o anúncio feito horas antes foi um erro.

A Rádio Nacional Pátria Live (Ranpal), ligada aos guerrilheiros, tinha anunciado mais cedo pelo Twitter a liberdade dos dois jornalistas, mas corrigiu a informação à noite, esclarecendo que, apesar de ter recebido informações nesse sentido, não conseguiu confirmá-las.

"Sobre os senhores holandeses capturados, ao meio-dia recebemos uma informação sobre sua liberdade, mas não conseguimos corroborá-la", escreveu a Rampal no Twitter.

O jornalista Derk Johannes Bolt, de 52 anos, e o repórter cinematográfico Eugenio Ernest Marie Follender, de 58, foram sequestrados em El Tarra, no departamento de Norte de Santander. O local é um dos redutos do ELN, que está em negociações de paz com o governo da Colômbia desde fevereiro.

Após a expectativa gerada pela notícia, o ELN, através da própria Ranpal, se desculpou pela falsa informação e afirmou que os dois jornalistas "estão em perfeitas condições e que em breve haverá uma conclusão positiva para a situação".

"O erro foi da Ranpal", indicaram os guerrilheiros.

Na mesma região, a jornalista colombiana Salud Hernández foi sequestrada em maio do ano passado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos