Incêndio florestal no sudoeste da Espanha está próximo de ser controlado

Huelva (Espanha), 26 jun (EFE).- O incêndio florestal que começou no último sábado na província espanhola de Huelva (sudoeste) regride "favoravelmente" e se mantém no entorno do Parque Nacional de Doñana, declarado Reserva da Biosfera e Patrimônio da Humanidade, onde não conseguiu entrar por enquanto.

Entre ontem à noite e hoje de manhã, o trabalho das equipes que lutam contra o fogo foi "muito importante e duro e deu resultado", explicou nesta segunda-feira o responsável de Meio Ambiente da região autônoma da Andaluzia, José Fiscal.

A evolução é "muito boa, quase inesperada" e o vento é "bem mais moderado do que ontem", acrescentou Fiscal.

O dispositivo aéreo de controle e extinção foi reforçado até as 17 aeronaves que participam das operações, de 23 disponíveis, enquanto mais de 200 bombeiros florestais trabalhavam em terra.

Também participam da luta contra o incêndio 244 soldados Unidade Militar de Emergências (UME), com o auxílio de veículos de diferentes tipos.

Por sua vez, a ministra de Agricultura e Meio Ambiente, Isabel García Tejerina, explicou que o incêndio "está delimitado".

Já o chefe da Unidade Militar de Emergências (UME), o tenente-geral Miguel Alcañiz, acredita que o fogo, que começou na localidade de Moguer, será totalmente controlado hoje, e apontou que "o perigo é que o vento aumente e possa reacender os focos, mas estamos otimistas".

O diretor do Espaço Natural que circunda Doñana, Juan Pedro Castellano, assegurou que a possibilidade de o incêndio afetar o parque nacional é "improvável" pela própria evolução do fogo e as barreiras estabelecidas, de modo que "agora está a salvo", indicou.

Entretanto, 450 das cerca de mil pessoas que tiveram que ser realojadas após a evacuação de mais de duas mil pelo incêndio permaneciam em diferentes instalações, enquanto já foi autorizado o retorno a locais que foram desocupados no momento certo.

A responsável de Justiça e Interior da Andaluzia, Rosa Aguilar, pediu às pessoas que ainda "não voltem às suas moradias por iniciativa própria" por motivos de segurança.

As estradas de entrada e saída de Matalascañas, na costa de Huelva, ficaram completamente abertas, após interdições temporárias neste domingo para para favorecer o controle do incêndio e preservar a segurança da população.

Sobre as causas do fogo, a Guarda Civil iniciou uma investigação para esclarecê-las.

Por outro lado, técnicos do centro de criação em cativeiro do lince-ibérico, em Doñana, conseguiram localizar 11 dos 13 exemplares que não puderam ser evacuados no domingo, quando as instalações foram desocupadas por conta do incêndio.

À primeira vista, os animais apresentam bom estado, segundo fontes do Ministério de Agricultura e Meio Ambiente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos