Militar canadense é a primeira mulher a liderar a Guarda Real Britânica

Londres, 26 jun (EFE).- A militar canadense Megan Couto se tornou nesta segunda-feira a primeira mulher a comandar as tropas da Guarda Real Britânica no Palácio de Buckingham.

A jovem, de 24 anos, assegurou à agência de notícias britânica "Press Association" (PA) estar "muito honrada" pelas distinções e afirmou que centraria seu trabalho em fazer o melhor possível.

Couto pertence à unidade Segundo Batalhão da Infantaria Leve Canadense da Princesa Patricia - conhecida como "Patricia's"- que foi convidada ao Reino Unido por causa do 150° aniversário do Canadá como Estado confederado.

Momentos antes de dirigir suas tropas desde Wellington Barracks até o londrino palácio de Buckingham, a militar disse não estar "muito nervosa".

"Praticamos o suficiente, todos os soldados sabem os seus passos, só temos que nos centrar em executarmos tudo de acordo", sustentou.

Normalmente, esta responsabilidade recai sobre a Divisão Geral da Exército Britânico, composta na maioria por homens.

Ainda que as mulheres do exército britânico tenham ocupado lugares significativos em numerosos e variados aspectos, até junho deste ano elas estavam proibidas de participarem de funções de combate corpo a corpo, por isso que nenhuma oficial tinha servido como capitã da Guarda Real.

Desde novembro do ano passado, algumas unidades do Real Corpo Armado foram abertas às mulheres e esta mudança vai ser aplicada a postos de infantaria, dos quais fazem parte os guardas da rainha. EFE

pbv/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos