Começa em zona montanhosa da Colômbia a histórica deposição de armas das Farc

Mesetas (Colômbia), 27 jun (EFE).- O ato simbólico de deposição das armas por parte das Farc começou nesta terça-feira em uma das antigas fortificações dessa guerrilha, com a presença do máximo chefe desse grupo, Rodrigo Londoño, conhecido como "Timochenko", e do presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos.

A cerimônia ocorre em uma das áreas de reunião das Farc, a zona Veredal Transitória de Normalização (ZVTN) de Buenavista, também chamada La Guajira e situada em Mesetas, município do departamento de Meta, no centro do país.

No início, Santos, "Timochenko" e os convidados cantaram o hino nacional e depois escutaram uma interpretação do cantor César López, ativista da paz.

Durante a cerimônia foram projetadas imagens de outras 26 zonas veredais onde observadores das Nações Unidas mostraram os containers cheios de armas recebidas das Farc para sua posterior destruição.

Em cada uma dessas zonas, os membros da ONU estiveram acompanhados de representantes de diferentes confissões religiosas em qualidade de testemunhas.

A Missão da ONU na Colômbia anunciou ontem que já tinha armazenado as 7.132 armas individuais das Farc, e só falta recolher as que estão com guerrilheiros que têm funções de segurança nos acampamentos até 1 de agosto, quando concluirá essa fase.

Previamente, Santos tinha afirmado na sua conta do Twitter que a notícia mais esperada pelo país em meio século ocorreria hoje, quando as Farc darão por concluído o processo de deposição de suas armas individuais.

"Hoje a Colômbia tem a melhor notícia em 50 anos: as Farc deixam suas armas e a palavra será a única forma de expressão", manifestou Santos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos