Cabras ajudam donos de mansões da Califórnia a evitar incêndios

Iván Mejía.

Los Angeles (EUA), 2 jul (EFE). - Há 21 anos, George Gonzales "salva mansões" dos incêndios de verão na Califórnia com um exército de cabras que comem tudo o que pode arder no mato antes de surgir a primeira faísca.

"Se a casa queimar, você pode reconstruir, mas fotos e objetos pessoais, por exemplo, você perde para sempre. É preferível ter cabras em volta da sua casa, cuidando do seu terreno para que não pegue fogo", explicou à Agência Efe Gonzales, proprietário do Ranchito Tivo Boer Goats, na cidade de Chino, na Califórnia.

Gonzales não gostava dos animais até se casar com a veterinária Elizabeth, que o mostrou o amor por burros, vacas, galinhas, cachorros e cabras.

Em 1996, ele começou a oferecer o serviço de corte de mato com o pastoreio de cabras e hoje possui um rebanho de 400 da raça "Boer" da África do Sul, atendendo diversos clientes do sul da Califórnia. Os que dão preferência ao uso desses animais enxergam muitas vantagens: elas não dão defeito, não fazem barulho e quando fazem as necessidades ajudam a fertilizar a terra.

"Se você colocar pesticida pode matar a planta e os animais. Com as cabras é natural. É como se fazia antigamente", disse Gonzales, que conhece pelo menos outros dez ranchos como o seu que usam os animais para evitar incêndios no estado.

Para a prefeitura de Duarte, por exemplo, ele pastoreia 100 animais que ajudam a reduzir em 7,6 centímetros de altura o mato, "para que existam raízes vivas ao chover e não acontecer um deslizamento".

No ano passado, terrenos com torres de energia elétrica pegaram fogo, o que poderia ter sido evitado com as cabras, já que empregar força humana para aparar o mato é caro.

"O empregado vale mais dinheiro. As prefeituras pagam US$ 28 (cerca de R$90) e a cabra custa U$1 por dia (US$3,20)", ponderou Gonzales, completando que os animais também não precisam de benefícios ou pensões.

Com 200 bichos, Gonzales poda 1 acre (4.050 metros) por dia e por isso recebe, aproximadamente, US$ 400 (cerca de R$ 1.300).

Troy Wittenbrock, gerente de serviços de Duarte, disse à Efe que há oito anos a prefeitura trabalha com os pastores de cabras para prevenir incêndios e assim protege propriedades de até US$ 1 milhão.

"Não gostamos de usar equipamentos mecânicos no mato seco porque pode pegar fogo. Por isso preferimos usar as cabras. Com elas fica mais barato", argumentou.

Já Diley Greiser, paramédica do Departamento de Bombeiros do Condado de Riverside, contou à Efe que certa vez recebeu uma chamada de atendimento em Mijai Valley de um incêndio que começou exatamente quando uma pessoa começou a cortar o mato com máquina ao meio-dia, no auge do calor.

"Acho maravilhoso essa maneira antiga de limpar o gramado nos parques e nas casas, porque é uma forma natural que beneficia a terra", destacou.

Na Califórnia, 95% dos incêndios acontecem por negligência ou razões intencionais, de acordo com o Departamento Florestal e de Proteção contra Incêndios da Califórnia (Calfire). Atualmente, 11 estão ativos.

Gonzales trabalha com a ajuda de mais duas pessoas, que transportam os animais e instalam os bebedouros, e fica satisfeito em saber que contribui para "salvar casas" do fogo.

"As pessoas são agradecidas. Elas gostam porque estamos cuidando da propriedade delas, concluiu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos