Primárias definem candidatos ao Governo do Chile

Santiago (Chile), 2 jul (EFE).- O empresário e ex-presidente Sebastián Piñera, os jornalistas Alejandro Guillier e Beatriz Sánchez e a assistente social Carolina Goic são os principais candidatos para suceder Michelle Bachelet na Presidência do Chile, após as eleições primárias realizadas neste domingo no país.

Piñera, que já governou o país entre 2010 e 2014 sucedendo justamente Bachelet no seu primeiro mandato, foi escolhido por uma ampla maioria como candidato da coalizão de centro-direita Chile Vamos.

O ex-governante, que lidera as pesquisas eleitorais, venceu o senador Manuel José Ossandón e o deputado Felipe Kast como aspirante da aliança conservadora, que agrupa as legendas União Democrata Independente (UDI), Renovação Nacional (RN), Partido Regionalista Independente (PRI) e Evópoli.

Já a Nova Maioria concorre pela primeira vez na história desta coalizão surgida da Concertación com dois candidatos presidenciais em separado, o senador e jornalista Alejandro Guillier e a senadora Carolina Goic, presidente da Democracia Cristã e assistente social por profissão.

Guillier deixou para trás na corrida presidencial destacados políticos, como o ex-presidente Ricardo Lagos e o ex-chanceler e ex-secretário geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) José Miguel Insulza, que para concorrer teve de renunciar como agente do Chile na Corte Internacional de Justiça da Haia para a demanda boliviana.

A inesperada indicação de Guillier como pré-candidato presidencial do Partido Socialista, em detrimento de um veterano militante como Lagos, foi justificada pelo fato de que tinha mais apoio nas pesquisas.

O ex-apresentador de televisão também recebeu o apoio de novas forças do oficialismo, como os partidos Radicais, Comunista e Pela Democracia.

No entanto, a Democracia Cristã, a força mais moderada da Nova Maioria, surpreendeu quando no dia 11 de maio inscreveu a candidatura de sua presidente, a senadora Carolina Goic, materializando assim uma separação no seio do oficialismo que provavelmente deve se repetir também nas listas parlamentares.

A esquerda da Nova Maioria, da Frente Ampla, uma coalizão de legendas progressistas emergentes, escolheu como sua candidata Beatriz Sánchez, uma conhecida jornalista que no começo de maio passado decidiu entrar para a política.

Outros aspirantes na corrida para o Palácio da Moeda (sede da Presidência chilena) são candidatos que já participaram de outras eleições, como o progressista Marco Enríquez-Ominami, o esquerdista Alejandro Navarro e os independentes Franco Parisi e Tomás Jocelyn-Holt.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos