Primeiras manifestações contra o G20 focam em luta contra mudança climática

Berlim, 2 jul (EFE).- As primeiras manifestações contra a cúpula do G20 que será realizada em Hamburgo, no norte da Alemanha, a partir da próxima sexta-feira, pediram neste domingo uma luta mais eficaz contra a mudança climática.

"O planeta em primeiro lugar" era um dos lemas que apareciam nos cartazes dos manifestantes, uma ironia com o "American First", slogan usado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e à decisão de tirar o país do Acordo Climático de Paris.

A frase foi escolhida pelo Greenpeace que também pede, como medida para a proteção do clima, o fim do uso do carvão como fonte de geração de energia.

A crise dos refugiados foi outro dos temas abordados pelos manifestantes. Alguns deles pediam o fim do "genocídio no Mediterrâneo".

Os protestos ocorreram sem incidentes nas ruas da cidade e sobre as águas do rio Alster, já que alguns dos manifestantes usaram botes para mostrar sua indignação com a cúpula do G20.

Além disso, um tribunal de Hamburgo autorizou a instalação de um acampamento de protesto contra o evento em um parque da cidade.

Apesar da decisão, segundo informações da revista "Der Spiegel", a polícia ainda não permitiu a montagem de barracas e alega que é preciso avaliar se o acampamento é compatível com o esquema de segurança montado para o G20.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos