Ex-ministro Geddel Vieira Lima é preso pela PF

Brasília, 3 jul (EFE).- O ex-ministro Geddel Vieira Lima foi preso preventivamente nesta segunda-feira pela Polícia Federal (PF) na Bahia no âmbito da Operação Cui Bono, que investiga crimes na liberação de créditos pela Caixa Econômica Federal.

O político do PMDB foi vice-presidente de Pessoa Jurídica do banco em um período investigado pela operação, entre 2011 e 2013. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), que solicitou a prisão, ele tentou barrar possíveis delações premiadas do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e do doleiro Lúcio Funaro.

O MPF diz que Geddel tentou "assegurar que ambos recebam vantagens indevidas, além de 'monitorar' o comportamento do doleiro para constrangê-lo a não fechar o acordo".

Determinada pelo juiz Vallisney de Souza, da 10ª Vara Federal de Brasília, a prisão tem base em depoimentos de Funaro e nas delações premiadas do empresário Joesley Batista, um dos donos da J&F Investimentos e do diretor jurídico da holding, Francisco de Assis e Silva.

A prisão de Geddel coincidiu com a decisão da Comissão de Ética da Presidência da República de iniciar uma investigação sobre sua atuação como ministro da Secretaria do Governo do presidente Michel Temer, à qual renunciou no ano passado encurralado por um escândalo de suposto tráfico de influência. Os dois casos não estão relacionados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos