Xi Jinping começa excursão por Rússia e Alemanha antes da cúpula do G20

Pequim, 3 jul (EFE).- O presidente da China, Xi Jinping, iniciou nesta segunda-feira sua excursão por Rússia e Alemanha antes de participar da cúpula de líderes do G20, que acontecerá nos próximos 7 e 8 de julho em Hamburgo (Alemanha).

Xi realizará hoje e amanhã sua terceira visita oficial à Rússia desde que o início do ano com o objetivo de "promover a cooperação mútua", apontou o porta-voz de Relações Exteriores chinês Lu Kang em entrevista coletiva.

"A Rússia é um dos parceiros estratégicos mais importantes para a China", assegurou Lu, que acrescentou que ambos os países estudam alguns "projetos sérios", relacionados a setores como o aeronáutico, o nuclear e o energético.

Xi não só se reunirá com o presidente russo, Vladimir Putin - com quem já se reuniu em 22 ocasiões - mas também manterá um encontro com o primeiro-ministro, Dmitri Medvedev, a fim de desenvolver um plano para impulsionar seus laços em matéria de comércio, investimento e infraestruturas.

O governo chinês anunciou que Pequim e Moscou assinarão dez acordos intergovernamentais, em diferentes campos, por um total de US$ 10 bilhões.

A estreita relação entre os dois presidentes - Xi e Putin costumam se reunir em média cinco vezes por ano - propiciou o desenvolvimento de um estudo conjunto de viabilidade sobre a União Econômica Eurasiática (EAEU, na sigla em inglês), cujo tratado foi assinado em 2014 por Rússia, Belarus e Cazaquistão.

A EAEU integra um único mercado que permite o livre movimento de pessoas, bens, capitais e serviços, e que ambiciona uma maior integração no futuro através de medidas como a implantação de uma moeda única.

Após sua passagem pela Rússia, Xi viajará à Alemanha para sua segunda visita oficial ao país e se reunirá com o presidente, Frank-Walter Steinmeier, e com a chanceler, Angela Merkel.

Ambos os encontros marcarão o preâmbulo da cúpula do G20 que será realizada em Hamburgo na sexta-feira e no sábado, e para a qual ambos os países se comprometeram com o objetivo de "promover uma governança econômica global".

A China manifestou seu desejo de dar continuidade aos "consensos" adquiridos na última reunião do G20, realizada em setembro do ano passado na cidade chinesa de Hangzhou.

"Os membros do G20 deveriam continuar o caminho do desenvolvimento aberto (...) e promover um crescimento inclusivo e sustentável", expressou o vice-ministro de Relações Exteriores, Wang Chao, que exigiu maior "solidariedade e cooperação" entre países.

A agenda de Xi em Hamburgo ainda é desconhecida, mas se sabe que o presidente chinês tentará se reunir com seu homólogo americano, Donald Trump, para debater temas como a ameaça nuclear norte-coreana, as tensões no Mar da China Meridional e a atual situação do comércio bilateral.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos