Humala e sua esposa Nadine Heredia chegam ao Tribunal Penal Nacional, em Lima

Lima, 13 jul (EFE).- O ex-presidente do Peru, Ollanta Humala, e sua esposa, Nadine Heredia, ingressaram nesta quinta-feira ao Tribunal Penal Nacional, em Lima, se colocando à disposição das autoridades judiciais, após a ordem de prisão preventiva emitida pelo juiz Richard Concepción Carhuancho.

Humala e sua esposa deixaram a residência da família no distrito de Surco, depois de ouvirem a decisão do juiz, e se dirigiram em um comboio acompanhados por seus militantes.

O ex-presidente escreveu na sua conta no Twitter que a prisão preventiva é "a confirmação do abuso do poder, que nós faremos frente, em defesa dos nossos direitos e dos direitos de todos".

Já sua esposa escreveu: "agradeço aos quem não condenam antes do tempo e que acreditam na inocência até que existam provas, que hoje não foram apresentadas".

Nadine Heredia acrescentou que "apesar da arbitrariedade estamos aqui, confiamos em que esta decisão será revertida por justiça. Confiamos no nosso país".

O juiz Richard Concepción Carhuancho aceitou o pedido de prisão preventiva da Promotoria contra Humala e Heredia, que são investigados por terem recebido US$ 3 milhões da construtora Odebrecht para a campanha eleitoral de 2011.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos