Familiares de vítimas do MH17 se manifestam na embaixada russa na Holanda

Bruxelas, 16 jul (EFE).- Um pequeno grupo de 15 familiares das vítimas da queda do voo MH17 da Malaysia Airlines em julho de 2014, em que morreram 298 pessoas, realizaram neste domingo uma manifestação silenciosa em frente à embaixada da Rússia em Haia, para protestar contra a atitude de Moscou na investigação.

Às vésperas do terceiro aniversário da tragédia, os familiares pediram banco e cadeiras para se sentarem em silêncio em frente à embaixada, em sua primeira manifestação contra a Rússia, segundo informou a televisão pública holandesa "NOS".

O objetivo, segundo explicam em mensagem dirigida a este órgão diplomático, é mostrar que continuam esperando que a Rússia proporcione "clareza" sobre a tragédia.

No texto, os familiares criticam que Moscou ponha obstáculos para esclarecer os motivos pelos quais o avião foi derrubado quando atravessava o espaço aéreo ucraniano.

Concretamente, assinalam que a Rússia impediu a criação de um tribunal internacional patrocinado pela ONU para investigar o incidente, e a acusam de "esconder" testemunhas e informação relevante e de apresentar dados "manipulados" ou "falsos".

Amanhã a Holanda lembrará o terceiro aniversário da tragédia com uma cerimônia na qual participarão os reis e o premiê, Mark Rutte. EFE

lpc/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos