Morrem 22 pessoas em suposto incêndio criminoso no leste da China

Pelo menos 22 pessoas morreram e outras três ficaram feridas no leste da China por causa de um incêndio que as autoridades suspeitam que foi provocado por uma ou mais pessoas, informou neste domingo a emissora de televisão estatal "CCTV".

O incidente aconteceu por volta das 4h30 locais (17h30 de Brasília de sábado) em um edifício de dois andares na localidade de Changshu, na província Jiangsu, onde viviam trabalhadores de um restaurante.

A polícia explicou que as portas da casa estavam fechadas pelo lado de fora, o que deixou os moradores presos enquanto o fogo se propagava rapidamente pelo edifício. Além disso, foram encontrados vestígios de gasolina no local, segundo o jornal "South China Morning Post".

Os agentes encontraram os corpos de 22 pessoas assim que conseguiram entrar no recinto, enquanto três pessoas conseguiram escapar com ferimentos leves.

Quase todos os moradores eram funcionários de um restaurante próximo, onde trabalhavam há mais de dois anos, e procediam de diversos pontos do país, e tinham uma média de idade de 25 anos.

As autoridades já detiveram um suspeito e estão à procura de outras pessoas que também poderiam estar envolvidas no incêndio.

Na China, é comum que o empregador ofereça alojamento a seus trabalhadores para compensar os baixos salários e garantir que tenham um lugar para dormir, dado o alto custo da moradia. Na maior parte das vezes, os empregados vindos de outras regiões do país vivem em dormitórios superlotados com poucas medidas de segurança. 
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos