Alemanha espera que Maduro reformule Constituinte após consulta opositora

Berlim, 17 jul (EFE). - O governo alemão considera que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, deve revisar a convocação da Assembleia Nacional Constituinte após a consulta opositora de ontem na qual 6,3 milhões de pessoas mostraram oposição ao plano de reformas do executivo.

"Do nosso ponto de vista, o plebiscito expressou claramente a vontade do país. Ainda que o resultado não seja juridicamente vinculativo deve levar o presidente Maduro a reformula a convocação da Constituinte", disse a vice-porta-voz do Ministério de Exteriores, Maria Adebahr.

Ela afirmou que a embaixada alemã em Caracas está em contato com representantes da oposição, mas não quis mencionar nomes. A porta-voz ainda comemorou o fato da consulta ter acontecido, apesar das difíceis condições.

Na consulta popular convocada pela oposição, sem a aprovação da Justiça Eleitoral, participaram mais de 7 milhões de pessoas e 98,4% dos eleitores votaram contra a formação da Assembleia Nacional Constituinte promovida por Maduro para mudar a Constituição.

Além disso, 98,5% votou afirmativamente para pedir às Forças Armadas que obedeça as decisões do Parlamento, de maioria opositora, e 98,3% aprovou a renovação dos poderes públicos e a convocação de eleições "livres e transparentes".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos