Exército paquistanês diz que 8 pessoas morreram em confrontos com Índia

Islamabad, 19 jul (EFE). - O Exército do Paquistão acusou às tropas indianas nesta quarta-feira de ter matado a tiros três paquistaneses na fronteira entre os dois países, onde também morreram cinco soldados da Índia no contra-ataque.

De acordo com o Serviço de Comunicação Militar paquistanês, o ISPR, as violações do cessar-fogo aconteceram em vários pontos da Linha de Controle (LoC), como é conhecida a fronteira militar entre Índia e Paquistão. Conforme o texto, as vítimas paquistanesas são um militar e dois civis e que os ataques também causaram ferimentos em outras sete pessoas, sendo que duas estão em estado crítico.

"A resposta destruiu os postos (de controle) de onde estavam disparando aos postos e civis paquistaneses. Cinco soldados indianos morreram e muitos foram feridos", afirmou o ISPR, que apontou que após o contra-ataque as agressões cessaram do lado índio.

As violações ao cessar-fogo, estipulado em 2003 nas proximidade da Caxemira, são relativamente comuns e costumam coincidir com enfrentamentos políticos entre as duas nações vizinhas. Atualmente, está ativo na Corte Internacional de Justiça (CIJ), em Haia, um processo iniciado pelo Executivo indiano pelo caso do suposto espião Kulbhushan Yadav, condenado a morte em abril no Paquistão.

A Caxemira é alvo de disputa entre o Paquistão e a Índia desde a divisão do Subcontinente indiano, em 1947, após o fim do domínio britânico. A Organização das Nações Unidas (ONU) ditaram várias resoluções para encontrar uma solução ao conflito em uma região que tanto Nova Delhi como Islamabad exigem na sua totalidade e razão pela qual travaram duas guerras e vários conflitos menores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos