Rússia denuncia tentativas de "minar a autoridade" de Trump

Moscou, 19 jul (EFE).- A Rússia assegurou nesta quarta-feira que as informações sobre uma segunda "reunião secreta" entre o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e seu homólogo dos Estados Unidos, Donald Trump, na Cúpula do G20 realizada em Hamburgo, "querem minar a autoridade" do inquilino da Casa Branca.

"Os que delineiam esta questão querem minar a autoridade do presidente Trump e criar-lhe problemas. Querem privar seu próprio presidente da possibilidade de contatar outros líderes", disse hoje o vice-ministro de Relações Exteriores russo, Serguei Riabkov, em declarações à emissora de televisão estatal russa "Rossia".

Segundo informaram ontem meios de comunicação americanos, o segundo encontro do qual não informou a Casa Branca aconteceu horas após o primeiro contato entre Trump e Putin, que aconteceu no dia 7 de julho durante duas horas em Hamburgo, durante a cúpula de líderes do G20.

Trump se sentou no outro lado da mesa de onde estava Putin durante o jantar do G20, mas na metade da refeição se levantou para sentar-se ao lado do governante russo e falar com ele.

"Cada um dos líderes é livre de falar com quem quiser e da maneira que achar conveniente. Há dezenas de contatos deste tipo que não são registrados de nenhuma forma. Só o registram em suas cabeças aqueles que veem nisto algum delito", destacou o diplomata russo.

Após a divulgação desse segundo encontro, que aparentemente durou uma hora, a Casa Branca reconheceu que este havia acontecido em um jantar social no marco do G20.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos