Suposto bombardeio russo mata pelo menos 15 civis no nordeste da Síria

Beirute, 19 jul (EFE).- Pelo menos 15 civis morreram nesta quarta-feira, a maioria deles menores, em um suposto bombardeio da Rússia contra a cidade de Ayash, no oeste da província síria de Deir ez-Zor, segundo informaram ativistas.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos declarou que as vítimas são membros de duas famílias e que entre eles há um homem, suas duas esposas e sete dos seus filhos menores de idade; bem como um casal e seus três filhos, também menores, que eram deslocados procedentes da província de Alepo.

A ONG não descartou que o número de mortos aumente, uma vez que há feridos em estado grave e desaparecidos.

O diretor da rede de ativistas Deir ez-Zor 24, Omar Abu Leila, confirmou estes dados à Agência Efe por telefone e acrescentou que os aviões russos lançaram cinco bombardeios contra a cidade, onde três casas foram destruídas.

Leila afirmou que após os ataques aéreos muitos moradores de Ayash fugiram para outras áreas pelo temor a novos bombardeios.

Quase toda a província de Deir ez-Zor está em poder do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), com exceção de alguns bairros da sua capital homônima e o aeroporto militar.

Por outra parte, na região vizinha de Raqqa, feudo dos jihadistas na Síria, a coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos aumentou os seus bombardeios nas últimas 48 horas.

Os ataques se concentraram na cidade de Raqqa e em áreas ao leste, tanto na margem norte como no sul do rio o Eufrates.

Segundo o Observatório, pelo menos 15 pessoas morreram, entre elas três menores e quatro mulheres, nesses bombardeios dos últimos dois dias.

Raqqa é atualmente palco de uma ofensiva das Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança armada encabeçada por milícias curdas, que dispõem do apoio da coalizão e de efetivos das forças especiais americanas sobre o terreno.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos