Trump cancela programa para armar e treinar rebeldes na Síria, diz jornal

Washington, 19 jul (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu suspender um programa da Agência Central de Inteligência (CIA) dedicado a armar e treinar tropas rebeldes na Síria, informou nesta quarta-feira o jornal "The Washington Post".

O programa começou em 2013 e foi uma das peças centrais da política do ex-presidente Barack Obama para tentar pressionar o regime do presidente da Síria, Bashar al Assad. Obama defendia a saída de Al Assad do poder como única via possível para a paz.

Funcionários do governo americano citados pelo "Post" afirmam que o fim do programa secreto reflete o interesse de Trump em trabalhar com a Rússia. O Kremlin considerava a ideia de armar os rebeldes sírios como um ataque direito a seus interesses na região.

"O fim do programa também é um reconhecimento da influência limitada de Washington e de seu limitado desejo de tirar Al Assad do poder", afirmou o jornal.

Segundo os funcionários consultados pelo "Post", Trump tomou a decisão de encerrar o programa há quase um mês após uma reunião na Casa Branca com o diretor da CIA, Mike Pompeo, e com o general H.R. McMaster, assessor de assuntos de segurança nacional.

A decisão teria ocorrido antes da reunião entre Trump e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante a cúpula do G20.

Após esse encontro, os dois líderes anunciaram um cessar-fogo no sudoeste da Síria, em províncias próximas à fronteira com a Jordânia, onde os rebeldes apoiados pela CIA desenvolviam há algum tempo suas atividades.

Segundo os funcionários citados pelo "Post", a decisão de encerrar o programa não foi uma condição para negociar a trégua. O diálogo que culminou no cessar-fogo envolveu os governos da Rússia, Jordânia e EUA durante semanas.

A decisão de Trump não afeta outro programa de responsabilidade do Pentágono para treinar rebeldes que lutam contra o grupo Estado Islâmico. O presidente já repetiu em várias ocasiões que sua prioridade na Síria é acabar com os terroristas e que, para isso, poderia colaborar com a Rússia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos