Produção agrícola da Coreia do Norte cai na pior seca em mais de 15 anos

Roma, 20 jul (EFE). - A produção agrícola da Coreia do Norte foi gravemente prejudicada pela pior seca que o país experimenta desde 2001, o que faz prever um aumento da insegurança alimentar, informou a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) nesta quinta-feira.

A entidade elaborou uma análise em parceria com o Centro Comum de Investigação da Comissão Europeia que afirma que as chuvas estacionais nas principais zonas de cultivo de cereais foram inferiores às de 2001, quando a produção caiu ao nível mínimo de 2 milhões de toneladas. Em comunicado, a agência destacou que o plantio e a colheita dos alimentos básicos, entre eles arroz, milho e batata, foram afetados na principal temporada de 2017 pelas escassas chuvas de abril, maio e junho, muito abaixo da média.

A previsão é de que a situação de segurança alimentar piore ainda mais entre este ano e o próximo, o que deve aumentar as necessidades de importações de cereais.

De acordo com o representante da FAO para China e Coreia, Vincent Martin, são necessárias "intervenções imediatas" para apoiar os agricultores e iniciar a reabilitação e modernização das zonas de irrigação que permitam aumentar a disponibilidade de água.

A Coreia do Norte, um Estado regido desde a sua fundação, em 1948, pela família Kim sob um sistema econômico baseado no comunismo mais radical, sofre desde a década de 90 com a constante falta de alimentos e depende de ajuda externa para manter à sua população.

Segundo cálculos da FAO, entre 2014 e 2016 10,5 milhões de norte-coreanos passavam fome no país, o equivalente a 42% da população.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos