PUBLICIDADE
Topo

Chanceler alerta para onda de violência que começará nesta 3ª feira na Venezuela

Manifestante seguram bandeira com desenho do presidente Nicolás Maduro durante protesto em Caracas, na Venezuela - Ueslei Marcelino/Reuters
Manifestante seguram bandeira com desenho do presidente Nicolás Maduro durante protesto em Caracas, na Venezuela Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Em Caracas

24/07/2017 21h13

O chanceler da Venezuela, Samuel Moncada, alertou sobre uma onda de violência que, segundo ele, começará a partir da terça-feira (25) no país, onde estão previstos vários protestos contra o governo, e a votação da Assembleia Nacional Constituinte do próximo domingo.

"Eu alerto sobre a onda de violência que pretende desatar na Venezuela a partir de amanhã", anunciou o chanceler ao canal "Telesur", em declarações citadas pela agência estatal de notícias "AVN".

De acordo com Moncada, os opositores ao governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, promovem que a Organização de Estados Americanos (OEA) realize na quarta-feira uma nova reunião em Washington para abordar a situação da Venezuela, abalada há quase quatro meses por protestos que já deixaram pelo menos 100 mortos.

O chanceler opinou que estas reuniões chegam precedidas por uma onda de violência causada por quem se manifesta nas ruas contra o governo.

A coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) convocou uma greve geral de 48 horas para a quarta-feira e uma grande passeata em Caracas para protestar contra a mudança de Constituição.

No próximo domingo serão realizadas no país as eleições para escolher uma Assembleia Nacional Constituinte, que será integrada por 545 representantes e terá poder superior para elaborar um novo ordenamento jurídico e reformar o Estado.

Os opositores qualificaram o processo de fraudulento por não contemplar um referendo prévio e disseram que, se for necessário, organizarão um boicote.