Oposição garante que 14 pessoas morreram em protestos na Venezuela

Caracas, 30 jul (EFE).- A coalizão de oposição Mesa da Unidade Democrática (MUD) divulgou neste domingo que, pelo menos, 14 pessoas morreram durante jornada de protestos em toda a Venezuela, contra a Assembleia Nacional Constituinte convocada pelo presidente Nicolás Maduro.

O número de óbitos contrasta com o divulgado mais cedo pelo Ministério Público local, que aponta para oito mortos.

"Supõe-se que um processo eleitoral é uma festa, porque a população pode se expressar, mas não é o que acontece hoje: são 14 pessoas assassinadas, incluindo uma criança de 13 anos", afirmou a deputada Delsa Solórzano, em entrevista coletiva.

A parlamentar aponta para utilização de arma de uso exclusivo das Forças Armadas, contra manifestantes.

A Promotoria local, embora apresente número diferente, garante que abriu investigação contra os casos que registrou, com três mortes no estado de Táchira, outras três em Mérida, uma em Lara e outra em Sucre.

Candidato duas vezes à presidência da Venezuela e governador do estado de Miranda, Henrique Capriles garantiu que, cerca de 400 pessoas ficaram feridas em protestos que acontecem em Táchira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos