Mortos em protestos contra a Constituinte são homenageados na Venezuela

Caracas, 31 jul (EFE).- Centenas de venezuelanos homenagearam nesta segunda-feira os manifestantes que morreram nos protestos contra as eleições para a Assembleia Nacional Constituinte convocadas pelo governo de Nicolás Maduro ontem.

A homenagem - em memória das 121 vítimas dos quase quatro meses de protestos contra o governo, incluindo as pessoas que morreram ontem - foi organizada pela oposição e ocorreu em um dos redutos do antichavismo no leste de Caracas.

Pessoas de todas as idades, com bandeiras venezuelanas e cartazes contra Maduro, aplaudiram os deputados opositores que discursaram. Todos fizeram convocações para que os manifestantes sigam nas ruas em protestos contra o governo e a Assembleia Constituinte, vista como uma tentativa de consolidar uma ditadura no país.

Alguns dos presentes levavam imagens e cartazes com os nomes de jovens mortos em confrontos com a Guarda Nacional Bolivariana (GNB) e outros agentes das forças de segurança do país.

"Tenho 73 anos e seguirei protestando, indo às manifestações contra esse regime corrupto, de bandidos, de ladrões", afirmou á Agência Efe Alberto Montero, que vive na maior favela da América Latina na cidade de Petare.

"Estão matando a juventude, os rapazes de 17, 18 anos. Já há mais de cem mortos. Isso tem que parar", disse Montero, que responsabiliza a GNB pelo que classifica de "assassinatos" e "traição à pátria".

A poucos metros dele e também com uma bandeira nas mãos estavam as irmãs Darian e Génesis Leal.

"Vim aqui pela dor que estamos enfrentando por todos esses meses. A morte dos rapazes ontem me afetou muito. É uma mostra de apoio aos rapazes da resistência", afirmou Darian, de 18 anos, que se queixa também da grave crise econômica do país que lhe obrigou a interromper os estudos.

"Há muitas famílias que ontem ficaram sem seus filhos, sem seus pais. É uma experiência que vai ficar marcada em todos os venezuelanos no futuro. Eu vivo a divisão na minha família por culpa da política", disse a jovem venezuelana.

Os protestos contra a Assembleia Nacional Constituinte deixaram dez mortos, segundo o Ministério Público da Venezuela. A aliança de oposição Mesa da Unidade Democrática (MUD), no entanto, afirma que 14 manifestantes morreram ontem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos