MP da Alemanha diz que agressor de Hamburgo queria morrer como mártir

Berlim, 31 jul (EFE).- O Ministério Público (MP) da Alemanha assumiu nesta segunda-feira o caso do ataque com faca em um supermercado de Hamburgo (norte), que na última sexta-feira deixou um morto e sete feridos, e disse que o agressor tinha a intenção de "morrer como mártir" durante o atentado.

O MP costuma assumir investigações em que há suspeitas sólidas de terrorismo e trabalha com a hipótese de que no caso de Hamburgo o homem, identificado como Admet Al H., teve um processo de radicalização individual e não pertence a um grupo terrorista.

Segundo o órgão alemão, não há elementos que apontem cúmplices do ataque, e o agressor, que decidiu cometer o ataque no mesmo dia em que o cometeu, foi neutralizado graças à intervenção de quatro imigrantes e em seguida detido pela polícia.

Admet, de 26 anos e nascido nos Emirados Árabes Unidos, chegou à Alemanha em 2015 e, após ter seu pedido de asilo negado em 2016 e expressar reiteradamente seu desejo de deixar o país, esperava ser deportado, mas não pôde dar seguimento ao processo repatriação por não ter os documentos em ordem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos