Normalização com EUA passa por renúncia à prática de sanções, diz Rússia

Moscou, 31 jul (EFE).- A normalização das relações entre Rússia e Estados Unidos passa pela renúncia de Washington às tentativas "de impor um ditado por meio de sanções", afirmou nesta segunda-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

"A saída desta situação radica em expressar a vontade política de melhorar as relações, em um processo de reabilitação do agravamento da esquizofrenia política e na renúncia às tentativas de impor um ditado por meio de sanções", disse Peskov a um grupo de jornalistas.

Ao mesmo tempo, destacou que "a Rússia, geralmente, está interessada em continuar cooperando" com os EUA na aérea que são do seu interesse, como a luta contra o terrorismo internacional, a proliferação das armas de extermínio e os crimes cibernéticos.

O porta-voz lembrou que o presidente russo, Vladimir Putin, em uma entrevista transmitida ontem à noite pela televisão, apontou que Moscou se reserva o direito a tomar medidas adicionais de resposta aos EUA, "ainda que não as considere necessárias por enquanto".

Na sexta-feira passada, a Rússia exigiu que os Estados Unidos reduzissem a partir de 1º de setembro o tamanho das suas representações diplomáticas em território russo a um total de 455 pessoas, entre diplomatas e pessoal técnico.

A medida foi adotada em resposta à aprovação pelo Congresso americano de uma lei que endurece as sanções contra a Rússia e limita as faculdades do presidente Donald Trump para suspendê-las. EFE

bsi/rsd

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos