China comemora 90 anos do exército com alerta contra "invasões estrangeiras"

Pequim, 1 ago (EFE).- O presidente da China, Xi Jinping, advertiu nesta terça-feira que seu país está pronto para "lutar contra qualquer invasão estrangeira" durante as comemorações do 90º aniversário do Exército de Libertação Popular (ELP), e insistiu na necessidade de que as forças armadas se modernizem e sigam às diretrizes do Partido Comunista.

Em um discurso de quase uma hora pronunciado no Grande Palácio do Povo, o presidente e também chefe do exército assegurou que a China "jamais vai invadir outros países, mas pode lutar contra qualquer agressão" e "não permitirá que ninguém, sob nenhuma forma, separe sequer um pequeno pedaço de terra do país".

Xi presidiu hoje na sede do Legislativo uma reunião que contou com mais de 3 mil presentes, a maioria deles militares, que receberam entre aplausos os principais líderes do país e ouviram atenciosamente a intervenção do comandante em chefe.

Destacando que o ELP é uma instituição "do povo, para o povo e pelo povo", Xi lembrou o princípio desta força como uma milícia que se rebelou contra o governo do Partido Nacionalista Kuomintang (KMT) em 1º de agosto de 1927 em Nanchang, a capital da província de Jiangxi.

O Partido Comunista da China, fundado seis anos antes, "estava em perigo, a revolução estava em um momento crucial e o partido entendeu que sem forças armadas (...) não seria possível o triunfo da revolução", afirmou Xi, que fez várias pausas para aplaudir o trabalho dos militares.

O líder comunista enfatizou que, em 90 anos de história, o ELP "venceu inimigos ferozes", e lembrou o seu papel em episódios históricos como a luta contra a invasão japonesa, a guerra civil contra o KMT e a "vitória na resistência contra a invasão dos Estados Unidos na Coreia".

Em seu discurso, o presidente destacou que o exército se modernizou e passou "das escopetas para um poder informatizado" e insistiu especialmente na necessidade de que o ELP obedeça ao comando do Partido Comunista da China.

"Mao disse que o Partido manda no Exército, não o contrário", lembrou Xi, o que gerou uma ovação do público. O presidente também advertiu que o ELP "obedecerá às regras da liderança absoluta do Partido Comunista" e destacou que o país precisa construir forças armadas "limpas e livres de corrupção".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos