ONU pede "libertação imediata" de Ledezma e López na Venezuela

Genebra, 1 ago (EFE).- O alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad al Hussein, pediu nesta terça-feira a "libertação imediata" de todos os detidos na Venezuela por exercer suas liberdades fundamentais, incluídos os líderes opositores Antonio Ledezma e Leopoldo López.

"Me preocupa profundamente que os líderes opositores Leopoldo López e Antonio Ledezma tenham sido novamente postos sob custódia das autoridades venezuelanas após a revogação da sua detenção domiciliar", declarou o responsável em um comunicado.

"Insto o governo a libertar imediatamente todas as pessoas detidas por exercer o seu direito à liberdade de reunião pacífica, de associação e de expressão", acrescentou.

Os dois dirigentes da oposição, que encontravam-se em detenção domiciliar, foram tirados das suas casas durante a noite por funcionários do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin).

O Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela justificou a ordem de transferi-los novamente à prisão em supostas informações que indicavam que ambos tinham planos de fuga.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos