Suprema Corte dos EUA nega habeas corpus a ex-presidente do Panamá

Washington, 1 ago (EFE).- A Suprema Corte dos Estados Unidos negou nesta terça-feira um pedido de habeas corpus e também outro de impedimento de uma extradição ao Panamá apresentados pelo ex-presidente do país centro-americano, Ricardo Martinelli.

Em um comunicado, uma porta-voz da Corte confirmou que as solicitações foram negadas pelo juiz Clarence Thomas, um de seus magistrados mais conservadores.

O Panamá pede a extradição de Martinelli por um caso de escutas ilegais durante seu governo (2009-2014) e do qual supostamente foram vítimas mais de 150 pessoas, entre elas opositores, empresários e jornalistas.

No pedido de habeas corpus, os advogados de Martinelli alegaram que não existe nenhum risco de fuga dos EUA por parte do ex-presidente e que, por isso, ele deveria ser colocado em liberdade de maneira imediata, sob fiança.

Martinelli chegou em 2015 a Miami após ter permanecido em paradeiro desconhecido durante vários meses após sair do Panamá em 28 de janeiro daquele ano, no mesmo dia em que o Supremo panamenho abriu a primeira das causas penais contra ele.

O ex-presidente diz sofrer perseguição política por parte do governo de Juan Carlos Varela, que foi seu vice-presidente e aliado nas eleições que o levaram ao poder em 2009.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos