Turquia proíbe protestos em Ancara durante o mês de agosto

Istambul, 2 ago (EFE).- As autoridades da província de Ancara, na Turquia, anunciaram nesta quarta-feira que estão proibidos qualquer tipo de protesto, greve, reunião ou celebração durante o mês de agosto na capital, com a justificativa de que estas concentrações aumentam o perigo de atentados terroristas.

Em um comunicado emitido hoje, o escritório do governador provincial menciona a detenção de Nuriye Gülmen e Semih Özakça, dois professores turcos que estão em greve de fome há mais de 140 dias em protesto contra um decreto que provocou sua demissão.

O governo os relaciona com a organização de extrema-esquerda Partido-frente Revolucionária de Libertação Popular (DHKP-c, sigla em turco) e argumenta que a proibição dos protestos em espaços públicos evita demonstrações de apoio a este grupo.

Por outro lado, o governo indicou que as manifestações "atrapalham os cidadãos e a ordem pública" e facilitam a ação de grupos terroristas como o Estado Islâmico (EI).

Esta norma está sendo imposta com base no estado de emergência decretado no país após a tentativa fracassada de golpe de Estado no ano passado.

Sob o estado de emergência, as autoridades podem emitir decretos com força de lei, suspender liberdades e direitos fundamentais, impor obrigações financeiras e trabalhistas aos cidadãos e conferir poderes especiais aos funcionários, sem que estas decisões possam ser contestadas na Justiça.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos