Soldado jordaniano é condenado à prisão perpétua por matar 3 americanos

Amã, 3 ago (EFE).- O Tribunal de Apelação da Jordânia ratificou nesta quinta-feira a condenação à prisão perpétua a um soldado jordaniano que matou três especialistas militares dos Estados Unidos no ano passado, informou a agência oficial "Petra".

O soldado, identificado como Maarek Al Tawayha, abriu fogo contra um veículo que transportava os três americanos na entrada da base aérea de Rei Faisal, a 200 quilômetros de Amã, em outubro, alegando que estes ignoraram uma ordem de parar para uma inspeção regulamentar.

A condenação do soldado, anunciada em julho, desencadeou protestos na tribo de Al Tawayha, o que levou o Exército a publicar um vídeo do incidente, no qual é possível ver o militar atuando por sua conta, sem seguir as ordens de seus superiores.

Na Jordânia há presença de militares dos Estados Unidos, já que este país assessora e treina o Exército da nação árabe, que faz parte da coalizão internacional contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos