Trump pediu que Peña Nieto deixe de dizer que México não pagará por muro

Washington, 3 ago (EFE).- O presidente dos EUA, Donald Trump, pediu que o líder mexicano, Enrique Peña Nieto, deixe de afirmar que seu país não pagará o polêmico muro fronteiriço, ao mesmo tempo que reconheceu as dificuldades para forçar o vizinho do sul a quitar a futura conta, revelou nesta quinta-feira o jornal "The Washington Post".

"Você não pode dizer isso (que o México não vai pagar o muro fronteiriço) à imprensa. A imprensa vai usar isso e não posso lidar com isso", disse Trump a Peña Nieto em sua primeira conversa telefônica após assumir a Presidência, em 27 de janeiro, cujas transcrições foram obtidas pelo jornal em questão.

Ao invés de dizer "não pagaremos", "deveríamos dizer, 'solucionaremos'. Isso será solucionado de algum modo", recomendou o governante americano ao presidente mexicano, segundo o jornal.

"Se for dizer que o México não vai pagar pelo muro, então não quero me reunir com você nunca mais porque não posso aceitar isso", acrescentou Trump.

A controversa proposta do muro fronteiriço foi um dos eixos da campanha eleitoral do então candidato republicano, que venceu sua rival democrata, Hillary Clinton, nas eleições de novembro de 2016.

No entanto, durante a conversa Trump sustentou que "(o muro) é o tema menos importante que estamos falando, mas politicamente pode ser o mais importante".

Peña Nieto, por sua vez, reiterou que sua posição "foi e continuará sendo muito firme, dizendo que o México não pode pagar pelo muro", ao sublinhar que é um tema relacionado com a "dignidade" e "tem que ver com o orgulho nacional" do seu país.

Em um momento da conversa, Trump chegou a ameaçar Peña Nieto com a imposição de taxas de 35% às importações mexicanas, já que como presidente foram concedidos "tremendos poderes sobre tarifas".

Nos EUA, os legisladores reconhecem a dificuldade de forçar o México a pagar o custo do muro, e o próprio Trump apontou que seu país anteciparia o dinheiro e mais adiante buscaria o modo para que o vizinho do sul "reembolse" a quantia gasta.

Por enquanto, a Câmara de Representantes aprovou uma proposta orçamental para destinar US$ 1,6 bilhões solicitados pela Casa Branca para o muro, uma medida que dificilmente será aprovada por parte do Senado, enquanto é esperado que comecem os trabalhos de construção no final deste ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos