Ataque suicida mata integrante da Otan e deixa 18 feridos no Afeganistão

Cabul, 4 ago (EFE).- Pelo menos um integrante da missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão morreu e outras 18 pessoas ficaram feridas, entre elas cinco soldados e um intérprete, em um ataque suicida no leste do Afeganistão, informou nesta sexta-feira a aliança militar e uma ONG.

O incidente aconteceu na quinta-feira no distrito de Qarabagh, no norte da província de Cabul, quando um insurgente detonou os explosivos que levava junto ao corpo durante a passagem de uma patrulha conjunta da Otan e do exército afegão, de acordo com um comunicado da aliança militar.

"O pessoal ferido foi levado para o hospital militar americano na base de Bagram", acrescentou a Otan nota, que detalhou que o estado de saúde de todos eles é "estável".

A Otan, como é de costume, evitou revelar as nacionalidades das vítimas, algo que deixa a cargo das autoridades de seus respectivos países.

Por sua vez, a ONG italiana Emergency anunciou através do Twitter que "12 feridos" na explosão no distrito de Qarabagh foram levados para seu hospital em Cabul.

Um dos porta-vozes do talibã, Zabihullah Mujahid, reivindicou hoje a autoria do atentado "contra as tropas americanas" através de uma mensagem no Twitter, na qual elevou o número de soldados mortos para sete.

Este é o segundo ataque significativo contra as forças internacionais posicionadas no Afeganistão esta semana, depois que dois soldados dos Estados Unidos morreram na quarta-feira em um atentado contra um comboio da Otan na província de Kandahar, no sul do país.

O talibã também assumiu a autoria desse atentado através de uma mensagem do porta-voz insurgente Qari Mohammad Yousef Ahmadi no Twitter.

A Otan permanece no país asiático com cerca de 13 mil efetivos em tarefas de assessoria e capacitação, e os Estados Unidos mantêm por volta de 8.400 militares como parte dessa operação de assistência e em tarefas de combate ao terrorismo.

O governo do presidente americano Donald Trump estuda uma nova estratégia para suas forças no Afeganistão e a Otan pediu recentemente aos países-membros um aumento de suas tropas para apoiar a missão no país.

Segundo o relatório do Inspetor Especial para o Afeganistão (Sigar, sigla em inglês) dos EUA divulgado na terça-feira, a guerra do Afeganistão continua "estancada" com os talibãs controlando cerca de 40% do país, além de registrar um aumento da área dedicada ao cultivo de papoula, a matéria-prima dos opióides, e milhares de mortos entre as forças governamentais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos