UE amplia lista de sanções à Rússia por venda de turbinas a gás à Crimeia

Bruxelas, 4 ago (EFE).- A União Europeia (UE) acrescentou três cidadãos russos e três empresas envolvidas na transferência de turbinas a gás à Crimeia à lista de sancionados pelas "ações que solapam a integridade territorial, a soberania e a independência da Ucrânia".

"O estabelecimento de uma fonte de alimentação independente para a Crimeia e Sebastopol apoia a separação da Ucrânia e solapa a integridade territorial, a soberania e a independência da Ucrânia. As turbinas a gás são um elemento substancial no desenvolvimento de novas centrais elétricas", disse nesta sexta-feira o Conselho da UE em um comunicado.

"Como parte de sua política de não-reconhecimento, o Conselho proibiu o fornecimento de equipamentos fundamentais para projetos de infraestrutura na Crimeia e Sebastopol em setores importantes, incluídas as turbinas a gás no setor energético", acrescentou.

A UE acrescentou três pessoas à lista de sanções pela "responsabilidade no fornecimento à Crimeia de turbinas a gás procedentes da Rússia".

"As turbinas foram inicialmente vendidas pela Siemens para uso no território da Federação Russa. A posterior transferência das turbinas à Criméia infringia as disposições de venda original por parte da Siemens", explicou o Conselho.

O Conselho precisou que as empresas punidas são a parte contratante que adquiriu as turbinas a gás e responsável pela transferência, o atual proprietário das turbinas e uma firma especializada em sistemas de controle e comunicação para centrais elétricas.

As sanções concretas consistem no congelamento de ativos e proibição de viagens que são aplicadas a um total de 153 pessoas e 40 entidades, segundo as medidas adotadas em março de 2014 e prorrogadas pela última vez em setembro de 2016 até 15 de março de 2017.

Em junho, o Conselho decidiu estender até junho do próximo ano as sanções que tinha imposto em resposta à anexação "ilegal" dos enclaves ucranianos da Crimeia e Sebastopol por parte da Rússia, que incluem restrições ao comércio e aos investimentos nesse territórios.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos