ONG contabiliza 101 assassinatos durante manifestações na Venezuela

Caracas, 7 ago (EFE).- A ONG Fórum Penal Venezuelano (FPV) cifrou nesta segunda-feira em 101 o número de pessoas assassinadas durante as manifestações que começaram no país no último dia 1º de abril, a maioria contra o governo de Nicolás Maduro, e que, segundo o Ministério Público, deixaram 121 mortos por diversas razões.

O diretor dessa organização não governamental, Alfredo Romero, indicou em uma coletiva de imprensa que na onda de protestos ocorreram 5.092 detenções, das quais 1.325 pessoas seguem atrás das grades.

Romero detalhou que, entre os detidos, 626 civis foram submetidos a tribunais militares e 389 foram enviados à prisão por decisão da Justiça militar.

O advogado acrescentou que a Organização dos Estados Americanos (OEA) certificou a existência de 620 "presos políticos" no país, uma cifra superior aos menos de 200 que estavam contabilizados antes do início dos protestos.

Segundo o balanço do Ministério Público, 121 mortes aconteceram em meio ao ambiente de tensão social e política, ainda que não em todos os casos se fale de assassinatos a manifestantes.

Neste domingo ocorreram outras três mortes durante a tomada de uma base militar por um grupo de insurgentes, dois deles participantes do ataque e uma pessoa que se manifestava a favor destes rebeldes.

O registro oficial da crise na Venezuela contabiliza cerca de 2.000 feridos e atribui mais da metade deles a abusos por parte da polícia na contenção dos protestos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos