EUA determinam novas sanções a 8 venezuelanos, incluindo irmão de Chávez

Washington, 9 ago (EFE). - O Departamento do Tesouro americano impôs nesta quarta-feira uma nova lista de sanções econômicas contra oito funcionários venezuelanos, entre eles Adán Chávez, irmão do ex-presidente Hugo Chávez, que morreu em 2013, por seu papel na "ilegítima" Assembleia Nacional Constituinte (ANC).

As sanções, que congelam os ativos que estas pessoas possam ter em solo americano, foram divulgadas uma semana depois de os Estados Unidos colocarem o presidente Nicolás Maduro na "lista negra" internacional.

Além de Adán Chávez, estão na lista Francisco Ameliach, Hermann Escarrá, Tania D'Amelio, Erika Farías Peña, Carmen Meléndez e Darío Vivas, membros da Assembleia Nacional Constituinte, e Vladimir Lugo, comandante da Unidade Especial do Palácio Federal Legislativo na Guarda Nacional Bolivariana, acusado de participar de violentas repressões nas manifestantes de Caracas.

"O presidente Maduro investiu nesta Assembleia Constituinte ilegítima para reforçar ainda mais a sua ditadura e continua aumentando o seu controle ao país. O desprezo do regime pela vontade dos venezuelanos é inaceitável e os Estados Unidos são contrários à tirania para que se restaure uma democracia pacífica e próspera", afirmou Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos Estados Unidos, em nota enviada aos meios de comunicação.

Por enquanto, o Tesouro segue sem aplicar sanções diretas ao setor petroleiro, coração da economia venezuelana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos