Ministério Público assume investigação sobre atropelamento de militares

Paris, 9 ago (EFE).- A seção antiterrorismo do Ministério Público de Paris abriu a investigação sobre o atropelamento de um grupo de militares nesta quarta-feira em Levallois-Perret, nos arredores de Paris, que deixou seis soldados feridos.

Fontes do organismo informaram à Agência Efe que foi aberta uma investigação por "tentativa de homicídio de pessoas com poderes de autoridade pública com conexão com o terrorismo".

Por volta das 8h (horário local, 3h em Brasília), um veículo atropelou os soldados que saíam de um quartel e fugiu em alta velocidade. O autor da ação está sendo procurado pelas forças de segurança.

A Polícia considera o ato "voluntário" e o prefeito da cidade, Patrick Balkany, qualificou a ação de "deliberada", ainda que, por enquanto, as autoridades não falem em atentado. A investigação ficará a cargo da Polícia Judicial e dos serviços de inteligência do país. As autoridades francesas desdobraram um enorme contingente para encontrar o carro envolvido na ação, uma BMW preta com apenas um ocupante.

Em comunicado, a ministra da Defesa, Florence Parly, assegurou que "a investigação em andamento determinará os motivos e as circunstâncias" da atuação. Ela participou da reunião do Conselho de Segurança que aconteceu no Palácio do Eliseu junto com o presidente, Emmanuel Macron, e outros membros do Executivo, como ocorre todas as quartas, mas que hoje foi dedicada a este crime.

Caso seja confirmado o caráter terrorista da ação, seria a quinta do tipo contra a chamada "operação Sentinelle", que tem 10 mil militares e apoia policiais e gendarmes nos trabalhos de combate ao terrorismo iniciado depois dos atentados de 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos