Itália reforçará segurança em província do sul após assassinato de mafiosos

Roma, 10 ago (EFE). - O ministro de Interior da Itália, Marco Minniti, anunciou que vai aumentar a segurança na província de Foggia com o envio de 192 agentes, após o assassinato de dois mafiosos e de duas testemunhas ontem em plena luz do dia.

Minniti, que presidiu uma reunião do Comitê Nacional para a Ordem e a Segurança Pública, disse que a resposta oficial perante este crime "será duríssima". O contingente virá da Polícia e da Guarda de Finança (delitos fiscais e de fronteiras). Os primeiros militares chegarão ao local ainda hoje.

"Quando pessoas desarmadas e inocentes morrem, o Estado deve responder e a primeira resposta deve ser o controle do território", afirmou.

O ministro também informou que na reunião ficou combinado um encontro a cada dois meses para avaliar a situação.

A resposta do governo foi dada um dia depois de Mario Luciano Romito e o cunhado Matteo de Palma serem mortos a tiros, quando viajavam de carro por uma estrada de San Marco in Lamis. Duas pessoas que presenciaram os assassinatos foram mortas em seguida.

O fato gerou espanto no país devido à crueldade empregada e pelo fato de ter ocorrido durante o dia, o que demonstra os métodos brutais usados pelos clãs mafiosos que controlam a província de Foggia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos